Assim Falou Zarutustra

In: Philosophy and Psychology

Submitted By indech
Words 86178
Pages 345
Assim Falou Zaratustra
Friedrich Nietzsche

Tradução: Pietro Nassetti

SABOTAGEM www.sabotagem.cjb.net Índice: Primeira Parte 4 − Preâmbulo de Zaratustra Os Discursos de Zaratustra 20 − Das três Transformações 22 − Das cátedras da virtude 25 − Dos crentes em Além−mundos 29 − Dos que desprezam o corpo 31 − Das alegrias e paixões 32 − Do pálido Delinqüente 35 − Ler e escrever 37 − Da árvore da montanha 40 − Dos pregadores da morte 42 − Da guerra e dos guerreiros 44 − Do novo ídolo 47 − Das moscas da praça pública 50 − Da castidade 52 − Do amigo 54 − Os mil objetos e o único objeto 56 − Do amor ao próximo 58 − Do caminho do criador 61 − A velha e a nova 64 − A picada da víbora 66 − Do filho do matrimônio 68 − Da morte livre 71 − Da virtude dadivosa Segunda Parte 76 − Criança do espelho 79 − Nas ilhas bem−aventuradas 82 − Dos compassivos 85 − Dos sacerdotes 88 − Dos virtuosos 91 − Da canalha 94 − Das tarântulas 98 − Dos sábios célebres 101 − O canto da noite 103 − O canto do baile 105 − O canto do sepulcro 109 − Da vitória sobre si mesmo 113 − Dos homens sublimes 116 − Do país da civilização 118 − Do imaculado conhecimento 121 − Dos doutos 124 − Dos poetas 127 − Dos grandes acontecimentos 131 − O adivinho 135 − Da redenção 140 − Da circunspecção humana 144 − A hora silenciosa Terceira Parte 147 − O viajante 151 − Da visão e do enigma

154 − Da beatitude involuntária 160 − Antes do nascer do sol 163 − Da virtude amesquinhadora 169 − No monte das oliveiras 172 − De passagem 175 − Dos trânsfugas 180 − O regresso 184 − Dos três males 189 − Do espírito do pesadume 193 − Das antigas e das novas tábuas 215 − O convalescente 222 − Do grande anelo 225 − O outro canto do baile 229 − Os sete selos Quarta Parte 229 − A oferta do mel 236 − O grito de angústia 240 − Conversação com os reis 244 − A sanguessuga 248 − O encantador 254 − Fora de serviço 258 − O homem mais…...

Similar Documents

Hjjguyf

...Meredith. E a observação era apropriada – óculos de sol escuros cobriam completamente os olhs do garoto, escondendo seu rosto como uma máscara. “Aquele estranho mascarado,” alguém disse, e um múrmurio de vozes elevou-se. “Você está vendo a jaqueta? É italiana, tipo de Roma.” “Como você saberia? Você nunca foi mais longe do que Roma, Nova York, na sua vida!” “Oh-ou. Elena está com aquele olhar novamente. O olhar de caça.” “É melhor que o Baixo-Moreno-e-Lindo tenha cuidado.” “Ele não é baixo; ele é perfeito!” Através da tagarelice, a voz de Caroline repentinamente soou bem alto. “Oh, vamos lá, Elena. Você já tem o Matt. O que mais você quer? O que você pode fazer com dois que não pode com um?” “A mesma coisa – só que por mais tempo,” Meredith falou lentamente, e o grupo se dissolveu em risadas. O garoto havia trancado seu carro e estava andando em direção à escola. Casualmente, Elena seguiu atrás dele, as outras garotas logo atrás dela em um grupo intimamente ligado. Por um instante, aborrecimento borbulhou dentro dela. Ela não podia ir à lugar algum sem um desfile em seu calcanhar? Mas Meredith percebeu seu olhar, e ela sorriu apesar de si mesma. “Obrigações da nobreza,” Meredith disse suavemente. “O quê?” “Se você vai ser a rainha da escola, você tem que aturar as conseqüências.” Elena franziu por causa disso enquanto elas entravam no prédio. Um longo corredor se esticava em frente à elas, e uma figura em calça jeans e jaquete de couro estava desaparecendo pela porta do......

Words: 56233 - Pages: 225

Apolonio de Tiana

...G.R.S.Mead Edição de 1901 CONTEÚDO I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII XIII XIV XV XVI XVII Introdução As Associações e Comunidades Religiosas do Primeiro Século Índia e Grécia O Apolônio das Primeiras Descrições Textos, Traduções e Literatura O Biógrafo de Apolônio Primeiros Anos As Viagens de Apolônio Nos Santuários dos Templos e Retiros Religiosos Os Gimnosofistas do Alto Egito Apolônio e os Governantes do Império Apolônio, o Profeta e Taumaturgo Seu Estilo de Vida Ele e Seu Círculo De Seus Ditos e Sermões De Suas Cartas Os Escritos de Apolônio I. INTRODUÇÃO Para o estudioso das origens do Cristianismo naturalmente não há período na história ocidental de maior interesse e importância do que o primeiro século de nossa era; e mesmo assim quão comparativamente pouco é conhecido sobre ele de natureza realmente definida e confiável. Se já é tão lamentável que nenhum escritor não-Cristão do primeiro século tenha tido intuição suficiente do futuro para registrar sequer uma só linha de informação referente ao nascimento e crescimento do que viria a ser a religião do mundo ocidental, igualmente desapontador é encontrar tão pouca informação definida sobre as condições sociais e religiosas gerais da época. Os governantes e as guerras do Império parecem ter constituído o interesse principal dos historiógrafos do século seguinte, e mesmo neste departamento de história política, ainda que os atos públicos dos Imperadores possam ser bastante bem conhecidos, pois os podemos......

Words: 32292 - Pages: 130

Não Faço Ideia

...no âmbito dos Seminários de Publicidade e Marketing I, III e IV, dar uma conferência com o tema "Não faço ideia. Como fazer a diferença no mundo da Comunicação”. Responsável por algumas das mais criativas campanhas de comunicação realizadas a nível nacional, Vasco Durão publicou recentemente o livro “Não faço ideia” – um ensaio sobre alguns dos grandes desafios do Mundo da Comunicação. Durante cerca de 1 hora foram-nos apresentados alguns conceitos e ideias que, quando aplicados de forma correcta, poderão a ser-nos úteis enquanto futuros profissionais de uma área onde saber comunicar é vital. Serve esta recensão para descrever os temas abordados por Vasco Durão durante a sua intervenção, procurando analisar as suas principais ideias. Assim, no ponto 2, será apresentada uma pequena biografia profissional de Vasco Durão, bem como uma descrição do trabalho da Agência Mola Ativism. O ponto 3 dará destaque ao livro “Não faço ideia”. Serão descritas algumas das principais ideias presentes no mesmo bem como o seu design pouco convencional. O ponto 4 apresentará algumas das campanhas de comunicação mais representativas do trabalho de Vasco Durão. O ponto 5 abordará uma das principais ideias presentes nesta conferência: Estamos perante o início da Era Conceptual. O ponto 6 abordará as questões motivacionais e de criatividade presentes no Mundo da Comunicação. Por fim, o ponto 7 será o espaço onde serão apresentadas as conclusões e críticas consideradas relevantes a esta......

Words: 2574 - Pages: 11

Filosofia Espírita Vol I

...— pag. 84  39 – Formação dos Mundos — pag. 86  40 – Viajantes Siderais — pag. 88  41 – Renovação — pag. 90  42 – Idade dos Mundos — pag. 92  43 – Os Seres Vivos — pag. 94  44 – De Onde Vieram? — pag. 96  45 – Origem dos Elementos — pag. 98  46 – Espontaneamente — pag. 100  47 – Origem do Homem — pag. 102  48 – Aparecimento do Homem — pag. 104  49 – Do Gérmen ao Homem — pag. 106  50 – O Primeiro Homem — pag. 108  51 – Tronco de Raça — pag. 110 6 – J oão Nunes Maia (pelo Espír ito MIRAMEZ)  CONVITE:  Convidamos você, que teve a opor tunidade de ler livr emente esta obr a, a  par ticipar  da nossa campanha de  SEMEADURA DE LETRAS,  que consiste em cada qual compr ar um livr o espír ita,  ler e depois pr esenteá­lo a outr em,colabor ando assim na  divulgação do Espir itismo e incentivando as pessoas à boa leitur a.  Essa ação, cer tamente, r ender á ótimos fr utos.  Abr aço fr ater no e muita LUZ par a todos!  www.luzespirita.org.br 7 – FILOSOFIA ESPÍRITA –Volume 1  Nota da Editora  “Por  isso, estudar  Kar dec par a conhecer  e divulgar  o  Espir itismo, é o compr omisso de hoje, que nos devemos impor   os  encar nados  e  desencar nados.  Como  toda  r evelação  é  gr adativa,  as  lições  Kar dequianas  quanto  mais  estudadas  melhor   se  fazem  compr eendidas  em  face  do  maior   entendimento de quem as examina.”  Bezerr a de Menezes  (SEARA DO BEM, psicografado pelo médium Divaldo Pereira Franco, cap.......

Words: 35660 - Pages: 143

Tg-001 – Importância Estratégica Da Tecnologia E Da Gestão Da Produção Pós-Graduação Lato Sensu - Tecnologia E Gestão Da Produção de Edifícios – Mba-Up/Tgp

...sucesso. A própria Parati quase saiu como Angra, nome abandonado pela possível ligação com a usina nuclear, com algo que pode explodir. Também há casos em que uma denominação bem-aceita no mundo todo sofre restrições em um mercado específico. O Monza rodava na Europa como Ascona, mas a GM temeu que o nome sugerisse asco aos brasileiros. O Kadett nacional quase se chamou Astra, nome já usado na versão inglesa da época, mas mudou-se de idéia quando se constatou ser uma marca de acessórios sanitários. E a Kia, depois de correr o risco de manter aqui o nome Besta, optou por chamar de Clarus o sedã que é vendido no exterior como Credus. Para simplificar as coisas, muitas marcas optam por siglas, números e códigos para identificar seus modelos. É assim com Mercedes, BMW, Ferrari, Audi, Peugeot e Saab, entre outras. Isso poupa tempo e dinheiro, mas não evita problemas: a Alfa Romeo teve de rebatizar o 164 para vendê-lo em Cingapura, pois na numerologia local 164 significa "morte no decorrer de uma viagem". Trocou o número por 168, que indica "prosperidade durante toda a viagem". Da mesma forma, podem ocorrer disputas por patentes: a Volvo foi obrigada, já com automóveis nas ruas, a alterar a sigla S4, já utilizada pela Audi. O sedã tornou-se S40 e a perua, antes batizada F4, ganhou a sigla V40. Nada de F40, como seria natural, para evitar um confronto com a Ferrari. 18 CASO "TREVO": Em 1988, a ADUBOS TREVO S/A enfrentava um quadro de estagnação em suas vendas, com projeções......

Words: 12194 - Pages: 49

Words, Hands, Hearts

...chover, provocando e... Mesmo que não chova, que se atrase, ou que se molhe, a vontade de estar junto vai estar ali e... As mãos vão ir em busca, os beijos, os abraços, o calor e... Tudo outra vez. 03 de fevereiro de 2011. PS: Maaaaarco! Te odeio né! =) Já é quase uma da manhã e cá estou eu na sacada acabando esse texto. Tu deve estar ai dormindo bem querido. Então... Eu não ia dormir sem pelo menos tentar (sou orgulhosa, teimosa e chata, bjs!) escrever duas linhas– não sei se eu já te contei que eu escrevia textos e tinha um blog meio famosinho antes, acho que é por isso que tu falou da facilidade com as palavras. Mas... dependendo o caso elas somem! O título é o nome de uma música do Yellowcard (conhece/gosta?). Fiz ouvindo ela e Mr. Brightside. Tomara que seja mais ou menos o que tu imaginou se não... Faz outro! Hahahaha (eu precisava acabar assim, de querida). Falei demais hoje. Bjbjbj!...

Words: 460 - Pages: 2

Herois Da Fe

...correu para a frente, clamando: Sr. Edwards, tenha compaixão! Outros se agarraram aos bancos, pensando que iam cair no Inferno. Vi as colunas que eles abraçaram para se firmarem, pensando que o Juízo Final havia chegado. "O poder daquele sermão não cessa de operar no mundo inteiro. Mas convém saber algo mais da parte da história geralmente suprimida. Imediatamente antes desse sermão, por três dias Edwards não se alimentara; durante três noites não dormira. Rogara a Deus sem cessar: 'Dá-me a Nova Inglaterra!' Ao levantar-se da oração, dirigindo-se para o púlpito, alguém disse que tinha o semblante de quem fitara, por algum tempo, o rosto de Deus. Antes de abrir a boca para proferir a primeira palavra, a convicção caiu sobre o auditório." Assim escreveu J. Wilbur Chapman acerca de Jônatas Edwards. Esse célebre pregador, contudo, não foi o único que lutou com Deus em oração. Ao contrário, depois de ler cuidadosamente as biografias de alguns dos maiores vultos da Igreja de Cristo, concluímos que nunca se pode atribuir o êxito de qualquer deles unicamente a seus próprios talentos e força de vontade. Certamente um biógrafo que não crê no valor da oração, nem conhece o poder do Espírito Santo que opera nos corações, não mencionaria a oração como sendo o verdadeiro mistério da grandeza dos heróis da fé. Lemos, por exemplo, dois livros, bem escritos, da vida de Adoniram Judson. Quando estávamos quase a concluir que houvesse alguns verdadeiros heróis da Igreja, realmente grandes em si......

Words: 79029 - Pages: 317

Papel Aleatório Que Estou Upando Pra Poder Ler

... | | | |Texto para leitura: Arthur C. Clarke - A Sentinela (ANEXO) | | | | | | | |Textos complementares para "2001: Uma Odisséia no Espaço": | | | | | | | |NIETZSCHE, F. Assim falou a Zaratustra | | | |www.ebooksbrasil.org/adobeebook/zara.pdf | | | | | | | |CLARKE, Arthur C. 2001: Uma Odisséia no Espaço | | | |http://www.inape.org.br/wp-content/uploads/2010/07/arthur_c_clarke_2001_odisseia_no_espaco.pd| | | ...

Words: 434 - Pages: 2

Psychology

...espontaneamente, em tão poucas palavras, o essencial da minha concepção de luto, segundo a qual a dor se acalma se a pessoa enlutada admitir enfim que o amor por um novo eleito vivo nunca abolirá o amor pelo desaparecido. Assim, para Clémence, o futuro filho que talvez nasça nunca tomará o lugar do seu irmão mais velho, hoje falecido. Ele terá o seu próprio lugar, o lugar que o seu desejo, o desejo dos seus pais e o seu destino lhe reservam. E, simultaneamente, Laurent continuará sendo, para sempre, o insubstituível primeiro filho. LIMINAR Liminar Desejei abrir este livro com um fragmento de análise, ou melhor, um fragmento de vida, que põe em presença dois seres: o que sofre e o outro que acolhe o sofrimento. Uma mãe devastada pela perda cruel de um primeiro bebê tão esperado e tão brutalmente desaparecido. E um psicanalista que tenta dar sentido a uma dor que, em si mesma, não tem nenhum sentido. Em si, a dor não tem nenhum valor nem significado. Ela está ali, feita de carne ou de pedra, e no entanto, para acalmá-la, temos que tomá-la como a expressão de outra coisa, destacá-la do real, transformando-a em símbolo. Atribuir um valor simbólico a uma dor que é em si puro real, emoção brutal, hostil e estranha, é enfim o único gesto terapêutico que a torna suportável. Assim, o psicanalista é um intermediário que acolhe a dor inassimilável do paciente, e a transforma em uma dor simbolizada. Mas o que significa então dar um sentido à dor e simbolizá-la? Não é, de modo......

Words: 60531 - Pages: 243

Avaliação de Desempenho

...constante mudança, os recursos humanos converteram-se no activo mais valioso e tendem a ser encarados como capital humano (Bilhim, 2009). CHIAVENATO (1999), cit. por Kato, J., defende que são as pessoas que fornecem os conhecimentos, habilidades, capacidades e inteligência. São elas que garantem decisões racionais e dão sentido e orientação aos objectivos globais. Considera que as pessoas são o capital intelectual de qualquer organização e que devem ser tratadas com respeito e reconhecimento. Assim, em certas organizações as pessoas são encaradas como parceiros que auxiliam no crescimento da mesma e não como simples funcionários. O actual paradigma da gestão considera que as pessoas constituem o principal factor competitivo de uma organização. Os recursos financeiros, tecnológicos ou logísticos são importantes, mas são as pessoas que, em princípio, quanto mais valorizadas forem, motivadas e empenhadas nas actividades, objectivos e missões, maior será a taxa de produtividade. Assiste-se assim, a um maior investimento por parte das organizações nos seus colaboradores. De acordo com CHIAVENATO (1999), cit. por Kato, se uma organização quer atingir os seus objectivos, tem que ter em atenção os interesses dos colaboradores, conhece-los da melhor maneira possível para que estes também atinjam os seus objectivos e ambos fiquem a lucrar. Hoje em dia as organizações procuram “avaliar para evoluir” e colocar ênfase no que é mais humano nas pessoas: o conhecimento, a criatividade, a......

Words: 7848 - Pages: 32

Form

...gráficos: Plinfo Informação, Lda. A internacionalização das empresas assume-se como uma estratégia para o início de uma recuperação económica que se quer sustentada, baseada na competitividade, promovendo a capacidade produtiva com medidas objetivas, legislação simplificada, redirecionando os apoios financeiros com o objetivo de incrementar a atividade das empresas, que vêm no desígnio de internacionalizar, o garante da sua sustentabilidade O desígnio de internacionalizar Poderemos ver nesta crise económica e financeira um paralelismo com o nosso passado histórico quando, no século XV, para ultrapassar os entraves ao crescimento da economia nacional, Portugal enveredou pela procura de novos mundos e, consequentemente, de novos mercados, dando assim início à expansão marítima. O paralelismo com os dias de hoje está na procura de novos mercados como meio de ultrapassar a debilidade da economia. No plano internacional, a evolução da economia portuguesa tem sido marcada pelas disparidades de crescimento entre as economias emergentes e as ditas tradicionais e pela pressão sobre os preços das principais matérias-primas que têm alimentado tendências inflacionistas na economia mundial (por exemplo, o aumento do preço do crude). Estes fatores estão na origem de uma crise internacionalmente abrangente, ancorada numa recessão em constante expansão, que teve início nos mercados financeiros e contagiou logo o mercado imobiliário, invadindo de seguida o mercado de bens duradouros, com......

Words: 36963 - Pages: 148

A Hora Da Vderdade

...Resenha do livro “A Hora da Verdade” de Jan Carlzon A hora da verdade é um livro repleto de histórias instrutivas e conselhos práticos de Carlzon, que foi presidente da Vingresor, Linjeflyg e da SAS. Para ele, a hora da verdade é o primeiro encontro de 15 segundos entre um cliente e um funcionário da empresa, sendo assim o autor acredita que os funcionários da “linha de frente” são de extrema importância e por isso dá autonomia aos mesmos. A estratégia de Carlzon é estar focado no cliente e no mercado, logo é de extrema necessidade que a organização seja descentralizada e que a responsabilidade seja delegada aos que estão na base da pirâmide, ou seja, aos que têm realmente contato com os clientes, a chamada “linha de frente”. Ele exemplifica essa autonomia dada aos empregados da “linha de frente” através de inúmeros exemplos, como o da funcionária que ao se deparar com um cliente sem a passagem ligou para o hotel em que o mesmo estava hospedado, falou com a camareira e enviou um carro da empresa para buscar a passagem. Outro exemplo foi quando uma funcionária ofereceu café e biscoitos de cortesia enquanto os passageiros esperavam por um vôo em atraso e depois teve que conseguir os lanches por conta própria para repor os que tirou do vôo. Pode-se ser feita uma correlação entre os conceitos de Porter (2000), e os exemplos de estratégia apresentados por Carlzon. Porter apresenta que o começo de uma boa estratégia é ter um objetivo correto, que é um excelente retorno sobre...

Words: 1397 - Pages: 6

Senior Students

...importante, até você mesmo falou que uma parte destes educandos, mesmo os mais jovens, são trabalhadores, nem que seja na economia informal, como é dar aula de ciências considerando essa dimensão, que a nossa formação como aluno da escola e a sua própria formação pedagógica vai trazer essa discuçao, como você vê isso? Como vc enfrenta isso? Essa questão aparece? P: Muito, aparece muito. E: Aparece como então? P: Eu tenho muita dificuldade porque minhas aulas são as primeiras então sempre tem algum aluno que atrasa, e tem essa questão de que estava trabalhando, então a gente tem q ser muito maleável quanto a isso, porque, como a Cleuza mesmo fala, teoricamente é a ultima oportunidade do aluno ali, muitos deles né? Principalmente os mais jovens que foram expulsos de outros colégios então talvez ali esteja a ultima chance deles de formar e continuar na educação. Então a gente tem que ser muito maleável quanto a isso, mas ai a gente cobra também né? Tem atestado? Ou alguma justificativa do seu trabalho? A gente tenta compreender muito, porque a gente sabe que é difícil e igual no meu caso, eu lido muito assim, eu não passo prova, não dou prova e eu não dou trabalho pra fazer em casa, muito raro eu dar trabalho pra fazer em casa, porque eu sei que prova eles não vão ter tempo de estudar porque muitos deles trabalhão o dia inteiro e trabalho em casa a mesma coisa, eles não vão ter tempo de fazer, então eu sempre passo trabalhos em sala, por mais assim, eu dei o texto hoje......

Words: 1647 - Pages: 7

Texto-Roteiro

...se sente inútil por não saber as respostas. Diz após isso que “as vezes eu preferiria estar morta” - Preconceito nas ruas. É chamada de “orca”, de “rabão” e até agredida. - Tem alucinações nas quais ela é uma artista famosa. Olha no espelho e se vê uma menina branca, rica, loira, toda produzida - Quando ela entra na sala da aula da Escola Alternativa há uma LUZ forte no filme, como se ela estivesse seguindo o caminho certo. Ela senta, finalmente, na primeira carteira, e não no fundão. Foi a primeira vez que falou diante da sala de aula. A prof disse “A jornada mais longa começa com um passo”. - Conseguiu ler pela primeira vez na Escola Alternativa. A prof a ajudou. - A mãe diz que ela é incapaz de seguir na escola... Que é melhor continuar na assistência social... - A filha de Preciosa, portadora de síndrome de Down vive com a avó de Clarice, mas quando a assistência social vai visitar a casa dela, sua avó leva sua filha para parecer que ela mora com Preciosa. Assim, o auxílio desemprego e o “vale refeição” continuam sendo pagos... A mãe de Preciosa diz que tenta arrumar empregos e que não consegue, mas na verdade ela passa o dia em casa. - O filme põe o discurso de Martin Luther King “sonho que um dia todos serão iguais”, quando Preciosa está na sala de aula pensando. Preciosa aprende a escrever na Escola Alternativa! E critica o pensamento da mãe de que “ninguém aprende nada escrevendo num caderno”, porque ela percebe que está aprendendo. - Preciosa diz que vai......

Words: 1376 - Pages: 6

Manual de Portugues

... |Eles |Eles | | |Elas |Elas | |Foram | | | | |Tiveram |Estiveram | | | | | Exercícios A. Complete, como no exemplo: (falar) – O que você falou? – Eu? Eu não falei nada! 1. (perguntar) – O que você _______________? – Eu não _______________ nada. 2. (responder) – O que você _______________? – Eu não _______________ nada. 3. (discutir) – Você _______________ com ele? – Eu não. Eu não _______________. 4. (preparar) – Você já _______________ a apresentação? – Eu? Não. Eu ainda não _______________. 5. (traduzir) – Você já _______________ o contrato de vendas? – Eu? Não. Eu ainda não _______________. B. Complete: 1. (trabalhar) Ontem ele _______________, mas eu não _______________. 2. (esperar) Ontem eles _______________, mas nós não _______________. 3. (pagar) A gente _______________ a conta, mas vocês não _______________. 4.......

Words: 11234 - Pages: 45

True Blood | SNSD Channel | New Action Movies 2018 | Best Sci Fi Adventure Movies Full Length English 2018 | Hollywood Movies